Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


Matéria Jornalística /


Publicada em: 04/03/2022 15:01 - Atualizada em: 04/03/2022 19:08
Polícia Civil classificou como acidente o que provocou queda de rocha e matou 10 pessoas em Capitólio
A PC não identificou responsável e diz que tragédia em Capitólio foi por 'evento natural'

Tragédia do dia 8 de janeiro afetou o turismo em Capitólio. Cidade tenta se recuperar investindo em passeios mais seguros

.

 @jornaldelavras     @jornaldelavras   (35) 99925.5481
 

A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu a investigação que visava identificar responsáveis ou culpados pelo desabamento de uma rocha no cânion do lago de Furnas em Capitólio. O desastre matou dez pessoas (clique aqui) no dia 8 de janeiro, elas estavam em uma embarcação que foi atingida diretamente por toneladas de pedra que desabou sobre a embarcação Jesus.

Na manhã de hoje, sexta-feira, dia 4, o delegado regional de Passos, Marcos Pimenta, divulgou o resultado das investigações e, segundo a corporação, não se verificou nenhuma ação humana específica em possa ter provocado a queda do paredão e rocha sobre a embarcação.

Ao final das investigações, a Polícia Civil concluiu que a ocorrência foi um "evento natural". De acordo com Pimenta, foram verificados eventuais irregularidades do empreendimento, mas essas irregularidades não estavam conexas com o desprendimento e consequente tombamento da rocha sobre a embarcação.

O delegado Marcos Pimenta falou, na coletiva realizada na manhã de hoje em Belo Horizonte que: "se houvesse indiciaríamos responsáveis pelos dez homicídios, o que não ficou comprovado".

"Entretanto, a Polícia Civil preparou dez sugestões, que serão encaminhadas para o Ministério Público Federal e Estadual, Marinha do Brasil, dentre outros", disse.

Dentre as recomendações para melhoria e segurança do local, estão orientações como realização de mapeamento de todas as zonas de risco por geólogos ou profissionais especializados e do ramo; a redução do número de embarcações permitidas nos cânions; implementações de selos de identificação nas embarcações, a serem fornecidos pelo poder público municipal, além da inclusão de um comprovante de seguro de vida; a identificação de todos os turistas; o uso obrigatório de colete em toda a represa e capacete nas regiões de cânions; proibição de passeios turísticos após advertências da Defesa Civil e fortalecimento da fiscalização.

www.jornaldelavras.com.br
A informação a um click de você 
 

Leia também:

 

"Brincadeira" que poderia ter terminado em tragédia deixa moradores de Nepomuceno indignados - veja vídeo
Carreta "cebolão" tomba na BR-265, no perímetro urbano de Lavras
Arma furtada na zona rural de Lavras foi apreendida pela PM de Perdões
Lavrense será empossado na Academia Brasileira Rotária de Letras
Documentário produzido em Lavras está concorrendo no Festival Sarancine - assista e vote
Lavras poderá ganhar um campus do IFSULDEMINAS
Novo "lixão" começa a surgir em Lavras e já está até invadindo pista do anel viário - veja fotos
Um porco-espinho foi flagrado em rua da área central de Lavras - veja vídeo
Homem e mulher foram presos no Sul de Minas após divulgarem blitz em aplicativo de mensagem
Saúde enfrenta crise por falta de remédios básicos. Rede pública e privada de Lavras estão sendo afetadas
 

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras