Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


Matéria Jornalística /


Publicada em: 10/02/2022 10:26 - Atualizada em: 10/02/2022 13:25
Advogado lavrense é contratado por Jairinho, ex-vereador carioca acusado de matar o enteado Henry Borel
O médico e ex-vereador Jairinho, é acusado do assassinato do menino Henry Borel Medeiros

Jairo Souza Santos Júnior, ex-vereador  Jairinho; Henry Borel Medeiros, garoto morto em 8 de março de 2021; e Monique Medeiros da Costa e Silva, mãe de Henry e namorada do médico e ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior

.

 @jornaldelavras     @jornaldelavras   (35) 99925.5481

O médico e ex-vereador do Rio de Janeiro Jairo Souza Santos Júnior, o Jairinho, constituiu dois novos advogados no processo em é réu com a ex-namorada, Monique Medeiros da Costa e Silva, acusado de torturar e matar o garoto Henry Borel Medeiros, filho de Monique. Jairinho assinou uma procuração nomeando o advogado Telmo Bernardo Batista e também o advogado lavrense Lúcio Adolfo da Silva.

Lúcio já atuou em diversos casos de repercussão nacional e até internacional.

Lúcio Adolfo da Silva defendeu o goleiro Bruno Fernandes, condenado a 22 anos e três meses pelo homicídio e ocultação de cadáver da modelo Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho - a pena foi aumentada porque o jogador foi considerado o mandante do crime e reduzida pela confissão do atleta.

O criminalista Lúcio Adolfo ficou conhecido em todo o país por atuar, além deste, em outros casos polêmicos como o de Maura Gracielle, a mulher que matou o namorado às margens da lagoa Várzea das Flores, na divisa de Contagem com Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), em 2010.

Outro caso de repercussão nacional e internacional foi o da "Chacina de Unaí", caso que ganhou as páginas dos jornais de todo o mundo e que aconteceu na cidade de Unaí, no Triângulo Mineiro, no dia 28 de janeiro de 2004, quando quatro funcionários do Ministério do Trabalho e Emprego (MTb) foram assassinados na região, durante uma fiscalização de rotina em fazendas.

Lúcio atuou também no caso do Esquadrão do Torniquete, um esquadrão da morte que agia em Minas Gerais na década de 90.

A Chacina de Malacacheta também deu projeção ao criminalista lavrense, quando nove pessoas de uma só família foram assassinadas na cidade, o crime ocorreu por causa de uma disputa de terras, em fevereiro de 1990. 

O advogado lavrense Lúcio Adolfo da Silva é irmão do também advogado João Batista da Silva, atuante advogado em Lavras. A mãe de Lúcio, Luzia Ferreira da Silva, era professora e também era advogada atuante em Lavras, ela faleceu em 2009.

Advogado criminalista Lúcio Adolfo da Silva

 

www.jornaldelavras.com.br
A informação a um click de você 
 

Leia também:

 

"Brincadeira" que poderia ter terminado em tragédia deixa moradores de Nepomuceno indignados - veja vídeo
Carreta "cebolão" tomba na BR-265, no perímetro urbano de Lavras
Arma furtada na zona rural de Lavras foi apreendida pela PM de Perdões
Lavrense será empossado na Academia Brasileira Rotária de Letras
Documentário produzido em Lavras está concorrendo no Festival Sarancine - assista e vote
Lavras poderá ganhar um campus do IFSULDEMINAS
Novo "lixão" começa a surgir em Lavras e já está até invadindo pista do anel viário - veja fotos
Um porco-espinho foi flagrado em rua da área central de Lavras - veja vídeo
Homem e mulher foram presos no Sul de Minas após divulgarem blitz em aplicativo de mensagem
Saúde enfrenta crise por falta de remédios básicos. Rede pública e privada de Lavras estão sendo afetadas
 

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras