Quem somos
|
Arquivo
|
Anuncie
|
Contato
|
Sua página inicial


início
prêmios
lavras tem
agenda
busca


Post: Artigo /


Publicada em: 21/04/2021 23:48 - Atualizada em: 22/04/2021 11:51
A melhor jogadora de futebol feminino denunciou a AFA no Instagram
Megan Rapinoe postou uma foto que tirou Yamila Rodriguez e reclamou à AFA que as camisetas de futebol das argentinas não tem seus sobrenomes nas costas.

 

Ao terminar o jogo de futebol no She Believes Cup 2021, onde a Argentina perdeu dos  Estados Unidos por 6 a 1, Yamila Rodriguez, a jogadora de Boca (Primeira futebolista que marcou um gol numa partida oficial da primeira Divisão Feminina, em 2019, Boca Juniors), pediu para Megan Rapinoe (A melhor jogadora de 2019 segundo a FIFA e ganhadora da Bola de Ouro pela revista France Football) por uma fotografia. As jogadoras trocaram as camisas e a foto foi postada no Instagram. A camisa de Rapinoe tem seu sobrenome escrito, enquanto a camisa de Yamila Rodriguez não. Rapinoe postou em seu Instagram o post da Yamila, editou a foto colocando o sobrenome em falta, e escreveu "O consertei, mas realmente temos que resolver isto (...) @AFA". A AFA não escreveu nada nem deu comunicados oficiais.

Sobre a Copa e Megan

A copa She Believes aconteceu entre 18 e 24 de fevereiro. Em princípio os times participantes seriam o Brasil, o Canadá, os Estados Unidos e o Japão. Como o Japão se deu de baixa pelo aumento dos casos de COVID-19 no Japão, a Argentina entrou em seu lugar. Argentina e Canada nunca participaram desta copa, construída para fomentar o futebol feminino nas novas gerações e no mundo do futebol. O campeão foi os Estados Unidos, segundo foi Brasil, Canada foi a terceira e, em último lugar, a Argentina.

A jogadora Megan Rapione foi a futebolista que fez mais gols. Rapione cresceu em Redding, California, com seus pais seus quatro irmãos e sua irmã gêmea. Passou sua juventude jogando em times dirigidos pelo seu pai até o 2° grau.

Megan sempre se faz escutar, e não desaproveita as oportunidades para opinar sobre a desigualdade de gênero que o futebol tem. Numa entrevista à Radio Montercarlo disse: "Pelo que nós lutamos é por igualdade de inversões, igualdade de oportunidades e fundos destinados ao time. Eu não estou pedindo o mesmo salário que Messi, essa não é a realidade". Em fevereiro, também, falou perante à Câmara dos Representantes dos Estados Unidos "Não há nenhum nível de estatuto, conquistas ou poder que te proteja das garras da iniquidade". O time denunciou, em 2019 contra a Federação de Futebol dos Estados Unidos por acusações de desigualdade salarial: "Enchemos estádios, ultrapassamos recordes de audiência e temos vendido camisetas, todas as medições populares pelas que somos julgadas. No entanto, apesar de tudo isto, ainda nos pagam menos que aos homens por cada troféu". Tendo o poder que lhe deram seus títulos, seus prêmios e troféus, a goleadora não tem problema em dizer o que pensa porque sabe que à esta altura sua voz não será ignorada. Porém, sabe-se que nem ela, a melhor jogadora, é salva das desigualdades em comparação com os jogadores homens, é ainda pior para as outras, e quando reclama, reclama por todas.

O futebol feminino está à espera da próxima Copa do Mundo de Futebol Feminina que vai acontecer na Austrália e Nova Zelândia em 2023. Sabia que pode-se fazer uma aposta esportiva de maneira online? Se você se considera um apaixonado pelo futebol lembre que pode fazer dessa paixão um divertimento a mais.

 

Voltar Envie para um amigo


 www.jornaldelavras.com.br - A informação a um click de você
Lavras/MG
WhatsApp: (35) 9 9925-5481
Instagram: @jornaldelavras 
Twitter: twitter.com/jlavras 
Facebook: www.facebook.com/jornaldelavras